Livros Impressos

Visitas:

contador grátis

UM SOFÁ, UM BOM LIVRO E VOCÊ!

Caixa de texto: Esta é uma proposta inovadora e uma opção mercadológica que permite baratear o custo 
do livro e  disponibilizá-lo a uma 
ampla rede de leitores.

CTC - Corporate Tower Center.
Torre Trade, sala 807.

Av. Amintas Barros, 3700. Lagoa Nova.
Natal/RN. CEP: 59075-810. 

Tel. 84:   9 9981-1028  |  WhatsApp

 

  

 Copyright  ©  2019. DJ-Books. Todos os direitos reservados.

FFACEBOOK

FINSTAGRAN

djason@uol.com.br

Whatsapp  (84) 9 9981-1028

LIVROS DISPONÍVEIS IMPRESSOS

Disponível em papel  R$   20,00

A solidão é uma condição de  auto  esquecimento que, às vezes, lançamo-nos a viver como uma provação, um castigo, por julgar que somos fracos e impotentes para lidar com as vicis-situdes das emoções. Dir-se-ia, numa linguagem mais rebuscada, que a vonta-de de reconhecer-se para necessária-mente por uma busca indelevelmente ligada ao reencontro de nossos abando-nos, dentro dos quais a palavra se arti-cula de inúmeras formas para dar sentido ao mundo, ajudando-nos a esca-par da repetição míope que faz com que estejamos sempre a mergulhar nos mes-mos impasses.

A reflexão filosófica pode significar uma terapêutica de vocação consoladora que, além de devolver a este Eu regre-dido uma pungente dignidade, permitin-do-lhe curar as vicissitudes da vida e as feridas narcísicas inscritas no Eu corpo-ral como uma linguagem cifrada, em busca de interpretação.

Paixão, desejo, ciúme

Na poesia erótica, a sexualidade se expõe de forma literária, buscando sem-pre imagens carregadas de razões esté-ticas. Na verdade, só a literatura erótica é única e suficientemente capaz de levar a sexualidade à imaginação dos ritos libertários, onde a fantasia sexual esta-belece uma transgressão toda vez que o desejo é impedido de encontrar sua satisfação.

Essa experiência do imaginário perfaz o sentido da fantasia que aguça a demanda do desejo e introduz na cena a dimensão do ritual. A imaginação sen-sual é essencialmente erótica e põe em cena o corpo de modo a fazer com que o apaixonado, imaginando, realize a experiência inflamada em busca do ritual do prazer que falta.

Por isso é que o erotismo em nada tem de comum com a pornografia. A paixão erótica nem mesmo coincide com a chamada revolução sexual, que se preo-cupou em promover o sexo, liberando o corpo para o orgasmo e a ejaculação precoce. Nesta, a dimensão do prazer é medida pelos imperativos do dessem-penho sexual, preocupação demencial da eficiência técnica do mercantilismo, cortando, assim, a possibilidade imagi-nária das carícias e recalcando os dize-res do amor.

Disponível em papel  R$   20,00

Disponível em papel  R$   30,50

O ciúme é, em regra, definido como um sentimento caracterizado pelo sofrimen-to e medo de perder total ou parcial-mente um objeto de vinculação afetiva. No caso do amor passional, o ciúme é uma experiência dolorosa que se con-verte em manifestação de comporta-mentos depressivos ou agressivos vis-à-vis de um parceiro afetivo-sexual a quem se julga ser causador de um sin-toma de perda, real ou imaginária. Neste caso, reflete uma personalidade afetiva-mente ansiosa, insegura e imatura.

Em seus fragmentos de um Discurso Amoroso, Roland Barthes atribui ao ciúme um qualificativo demoníaco em seus variados graus de intensidade e significância, por ser um sentimento devorador, capaz de provocar reações irracionais e violentas, seja no plano físico ou psicológico. Para tanto, ele afir-ma: “Como ciumento sofro quatro vezes: porque sou ciumento, porque me reprovo de sê-lo, porque temo que meu ciúme machuque o outro, porque me deixo dominar por uma banalidade: sofro por ser excluído, por ser agres-sivo, por ser louco e por ser comum.

Resultado de imagem para voltar

HOME

BOOKSTORE

CADASTRO